Wancley quer disciplina de uso racional da água em currículo escolar

Wancley quer disciplina de uso racional da água em currículo escolar

Texto: Eduardo Cardoso/Foto: Pedro Henrique

Está em tramitação na Assembleia Legislativa, o projeto de lei do deputado Wancley Carvalho (PV) que pede a inclusão na grade curricular matéria específica sobre o uso racional da água. A carga horária e o ano letivo nos quais será inserido ficarão a cargo da Secretaria de Estado de Educação.

De acordo com a proposta do deputado, apresentada no ano passado, o assunto será tratado em salas de aula do ensino fundamental e médio da rede pública estadual de Mato Grosso.

A proposta foi apreciada pela Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia, Cultura e Desporto, analisada pelo Núcleo Ambiental da Assembleia Legislativa (ALMT), e aguarda apreciação do Núcleo Social da Casa de Leis.

"Celebramos hoje o Dia Mundial da Água. Essa substância é a mais preciosa da Terra. Precisamos ensinar nossas crianças desde cedo, e nada melhor que começar pela inclusão no currículo escolar", lembrou o deputado.

A iminente crise de abastecimento de água tem preocupado o deputado do Partido Verde. Na justificativa do projeto, Wancley cita dados da Organização das Nações Unidas (ONU), que revelam que, se continuarem os padrões de consumo e não forem criadas fontes alternativas para captação, em 2025, um terço da população mundial não terá acesso à água potável. “Em 12 anos, de acordo com as previsões, a nossa demanda por água no mundo deve crescer em 50%”, afirmou o deputado.

Apesar das diversas campanhas nos veículos comunicação que alertam para o consumo consciente da água, o deputado defende a necessidade de debater o assunto de forma contínua, dentro das salas de aulas.

"Precisamos disseminar a importância do uso racional da água. É urgente conscientizar sobre a escassez dos recursos hídricos", afirma Wancley.

O parlamentar, que é graduado em geografia, lembrou que, embora o planeta seja formado por 3/4 de água, 97,3% desse total são águas salgadas, 2,34% estão em forma de gelo ou em lençóis freáticos e somente 0,36% são águas de rios, lagos e pântanos apropriadas para consumo.

“É preciso conhecer, entender e conscientizar. Se soubermos usar, não vai faltar: mas para isso é necessário mudar comportamentos, e a educação é a melhor saída”, salientou.

A proposta prevê ainda a capacitação dos professores, para despertar nas crianças a sensibilidade com as causas ambientais. O conteúdo apresentado na sala de aula não fica restrito somente ao ambiente escolar.

“Alunos são multiplicadores de informação. Seja em casa, na escola, bairros ou com familiares, o aluno aprende na escola e sente o desejo de compartilhar”, finalizou o autor do projeto.

Sustentabilidade - Filiado ao Partido Verde desde 2003, e preocupado com as questões de sustentabilidade, o deputado tem pautado sua atuação na defesa do meio ambiente. Diversas audiência públicas para debater sobre o tema já foram realizadas. Além disso, Wancley lançou em seu site (http://www.wancley.com.br/)  livros digitais com dicas de sustentabilidade e preservação do meio ambiente. Entre os e-books está o “Guia das Nascentes de Mato Grosso, que você pode baixar clicando aqui.

Eduardo Cardoso

Deixe uma Resposta

Close