Wancley defende construção de aeroporto em Pontes e Lacerda

Wancley defende construção de aeroporto em Pontes e Lacerda

Eduardo Cardoso

O deputado Wancley Carvalho (PV) participou das discussões sobre o Programa de Desenvolvimento da Aviação Regional, durante seminário realizado na Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, na última sexta-feira (11), em Cuiabá.

No encontro, organizado pela Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado Federal (CDR), o parlamentar defendeu a construção do aeroporto de Pontes e Lacerda, destacando que é preciso ampliar os destinos da aviação comercial em Mato Grosso.

"Pontes e Lacerda está na fronteira com a Bolívia. Precisamos urbanizar a fronteira, melhorando a logística, para torná-la uma terra de oportunidade, já que sempre referimos à essa região como local inseguro", pontuou o parlamentar ao defender ainda que o investimento na aviação incentiva também o turismo, fortalece a economia e gera empregos diretos e indiretos.

Durante o encontro, Wancley oficializou o pedido de investimento aos senadores Wellington Fagundes (PR), Cidinho Santos (PR) e José Medeiros (PSD), além do líder da bancada federal, Fábio Garcia (PSB), por meio de documentos. A solicitação também foi encaminhada ao diretor do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Eduardo Bernardi.

Em Mato Grosso, dos 13 aeródromos presentes no programa, nove estão em fase de elaboração de anteprojeto, etapa que antecede as licitações das obras. São eles: Alta Floresta, Barra do Garças, Cáceres, Juara, Rondonópolis, São Felix do Araguaia, Sinop, Tangará da Serra e Vila Rica. Juína, Matupá e Pontes e Lacerda estão com análise de estudos.

Em função da crise econômica, o governo federal reduziu de R$ 7,3 bilhões para R$ 1,2 bilhão, os investimentos para o Programa de Desenvolvimento da Aviação Civil Regional. Mato Grosso é o Estado com maior número de aeroportos priorizados no Programa de Aviação Regional.

Inicialmente, o programa contemplava 13 aeroportos em Mato Grosso e 270 ao total, no país. Com a retração, segundo Ministério dos Tranportes, está sendo redimensionado de forma a priorizar aeroportos que precisem de investimentos menores para viabilizar a aviação regional.

Já os aeroportos menores devem ser incluídos no programa de concessões. No caso de Mato Grosso, inicialmente, serão priorizados os aeroportos de Rondonópolis, Alta Floresta, Sinop e Barra do Garças.

Eduardo Cardoso

Deixe uma Resposta

Close