Wancley e sindicatos cobram do Governo pagamento da reestruturação salarial da Polícia Civil

Wancley e sindicatos cobram do Governo pagamento da reestruturação salarial da Polícia Civil

O deputado Wancley Carvalho (PV) não concordou com a proposta apresentada pelo secretário de Estado de Gestão, Júlio Modesto, em pedir mais prazo para definir se o Estado vai pagar ou não os 10% da reestruturação salarial da Polícia Civil.

A reunião foi realizada no início da noite desta terça-feira (12), no gabinete do secretário, e reuniu também os presidentes dos sindicatos da categoria. "Não aceito o tratamento desigual com os investigadores e escrivães, em relação a outras servidores do estado. Acordos com outras categorias foram cumpridos, e o nosso até o momento não", afirmou o parlamentar.

No encontro que reuniu também os presidentes dos sindicatos do escrivães (Sindepojuc), Davi Nogueira e dos investigadores (Siagespoc), Cledison Gonçalves, ficou definido que as categorias realizarão assembleias gerais para deliberar sobre o anúncio do governo. Modesto pretende dar o posicionamento do Governo na sexta-feira (15), pela manhã.

Na sessão vespertina dessa terça (12), Wancley cobrou posicionamento do governador, Pedro Taques (PSDB). No discurso, o parlamentar lembrou que o desde 2014 tramita no governo o pagamento da reestruturação salarial da Polícia Civil. O acordo já foi protelado algumas vezes pelo Palácio Paiaguás, e até o momento, a lei não foi cumprida.

O assunto está sendo amplamente debatido com o deputado e sindicatos, juntamente com o governo do estado, desde o ano passado. A categoria já cedeu, dando mais prazo ao governo para cumprir a lei.

Em março desse ano, o secretário chefe da Casa Civil, Paulo Taques, disse que não haveria  nenhum impedimento ao cumprimento da Lei 565/2015, que trata do reajuste salarial, no mês de abril, retroativo ao mês de fevereiro de 2016. Entretanto, a lei continua sem ser cumprida.

Na justificativa, Júlio Modesto ressaltou a dificuldade financeira enfrentada pelo estado, e disse que a equipe técnica tem realizado estudos para regularizar a situação.

Eduardo Cardoso

Deixe uma Resposta

Close